terça-feira, 24 de junho de 2008

Livro do Esquecimento - Dry Neres


"A vantagem de ter péssima memória é divertir-se muitas vezes com as mesmas coisas boas como se fosse a primeira vez". - Friedrich Nietzsche


------------------------------------------------------
Me faço feliz duplamente quando minha memória me concede a dádiva de esquecer muito do que vivi. Algumas coisas, enterrei num jardim bem longe daqui. Outras, deixo no meu bolso, com velhos papéis amassados e uma foto ao meio. Quando sinto fome, toco. Toco sempre! Gosto de chorar a mesma lágrima repetidamente. Isso é verdadeiramente divino! Gosto de lembrar da música que não conseguiu emitir som e da corrida que eu não ganhei. Eu só gosto, não me lembro! Minha Me-mória, por vezes deixa de Mo-rar em mim. Vai lá pra... pra bem longe. Num lugar seguro! Não. Perigoso! Onde as estrelas costumam escrever e dançar as cantigas que outras cantam. Lá onde a menina estica o corpo frágil pra tocar a lua. Ela se estica, estica... faz força... e retorna com o cobertor nos braços, esperando uma nova oportunidade de tocar o livro da vidraça. Ela sabe muito bem que tem perdido muito do encanto primeiro. Já ia me esquecer de dizer que esqueci de preparar o sol que vai me cobrir amanhã pela manhã. Eu gosto de esquecer as chaves disso tudo. Porque na verdade, tem porta que não tem nenhuma. Já ia me esquecendo... Ela se estica, estica... faz força...
(Viagens e devaneios meus: O resto quis esquecer!)

6 comentários:

Amannfredini disse...

Perfeito!!!!!!!
Simplesmente perfeito!
Entre tantas coisas que me caberiam falar, uma simples palavra define tudo!
Me reconheci demais nesse texto!
Absurdo!!!!

Beijos

Amannfredini disse...

Que bom que gostou do texto!
Para mim é muito complicado externar essas coisas... Mas é curioso... Se não tenho pudores em falar do que me incomoda, porque não expor as belezas da vida?!!?
Um grande beijo!

Filósofo disse...

Deve haver em algum lugar um mapa que leve a esse jardim...
Que ele esteja distante mas nunca inacessível...
E quando se esticar e não alcançar a lua que eu possa estar por perto pra te fazer "pézinho"...
Jardim e lua são coisas que devem ser lembradas...
Um (inesquecível) abraço!

Poeta Mauro Rocha disse...

Memória...memória...é sobre o que mesmo?/ Ah tá memória!!! Muito bom,rssrrsr.Ótimo seu texto.


Um beijo e abraço!!

Primo Raffa disse...

Assim como as boas histórias vividas que, aos poucos, vão ficando "esquecidas" para, num belo dia, ressurgirem como a Fênix nos trazendo a mesma alegria com um quê de saudade.
Excelente!!!!
Me identifiquei.

Chá de Fita disse...

EU IA DIZER QUE SEU TEXTO É...
DIGO...
HUM,
ESQUECI!