terça-feira, 17 de junho de 2008

Enquanto isso, o mundo pede paz - Dry Neres





A mãe só deseja que o filho volte pra casa no final da tarde. Que o esposo possa comprar o pão de cada manhã. A gente só quer liberdade de poder sentar na calçada e ver as crianças brincarem. Seria bom se não precisasse colocar corrente no portão. Seria bom não ter que colocar corrente em mim. Eu quero uma apnéia pela paz! E ter que segurar a bolsa quando vai pro metrô, andar olhando pra trás, chegar cedo em casa pra não correr o risco de não voltar mais. Tenho que lavar o alface 10 vezes com vinagre, pra não morrer com o teor alto dos agrotóxicos. Tomar cuidado com a carne que como pra não virar mutante. Colocar uma melancia na cabeça para não ser atropelado na faixa de pedestre.

Não posso me arrumar muito, pra não levarem minha roupa. Preciso falar baixo pra não chamarem minha atenção. Preciso colocar câmeras em casa, pra não tratarem mal minha avó. E um espião pra ver se a babá cuida bem da minha criança. Eu me sinto um manequim. Todo dia, o dono da loja escolhe uma roupagem, e eu visto. Eu quero uma apnéia pela paz! As pessoas precisam da paz interior. A Empresa, Igreja deseja tirar. Pintam a imagem de um Deus autoritário. Falam em paz e promovem a guerra da consciência que desencadeia as mais perversas atitudes "Humanas" por conta da placa: "Pare"! A educação pede paz, pede mais. As crianças não aguentam mais serem trancadas e jogadas e arrastadas por carros e por homens sem coração.

Os mais velhos querem descansar e nós jovens levantamos nossa bandeira vermelha, que é a cor do sangue que corre em nossas veias. O sangue azul dos fidalgos da direita pede guerra. Pouco se importam com quantos estão morrendo neste exato segundo. Gostam mesmo de falar sobre "Golf", da "Cotação do Euro", do "Fashion week". Enquanto no Nordeste os pobres comem terra seca do sertão. Os "grandes", se preocupam em dieta e academia para perder peso e na África só pedem um feijão. Os jovens morrem de depressão. Para a máquina governamental a solução não está não está nas mãos deles. Mas quando é um "filhinho de papai" que se droga, ele precisa de um psicólogo. Gostam de vestir meninos com roupa camuflada, alma camuflada, mandarem eles pra favela combater a própria criação que a máquina política, os descompromissados, ajudaram a construir. Eu quero uma apnéia pela paz!

6 comentários:

prafrente disse...

você é tão jovem e já carrega sobre os ombros o peso de uma ansiedade paralisante.
No teatro da mente, quando o medo entra em cena,não pode haver dois vencedores: ou vence você, ou você é vencida pelo medo.São palavras do psiquiatra brasileiro,Augusto Cury.
Sendo professora, aproveite seu trabalho para dar muito amor aos seus alunos.A violência é um grito de alerta, um pedido de socorro,uma camuflagem para as nossas vulnerabilidades.
Mas eu entendo que é fácil para mim,falar desta maneira, na tranquilidade do meu canto,enquanto você pode viver imersa nesse pesadelo quotidiano.
Não entendi essa de "pintam a imagem de um Deus autoritário".Eu tenho um forte sentido transcendental da vida e sempre entendi Deus como Alguém que entende as minhas lágrimas, mas também as minhas alegrias.
Depois não esqueça que há muitos pobres cuja pobreza é de "espírito"...

Coragem...

Amannfredini disse...

Ter novos comentaristas no blog sempre é bom! Talvez pq nele achei um modo de externar as minhas angústias para que assim aquelas pessoas que eu nem conheço possam me vir com palavras como as suas.
Fica aqui, ainda mais, um agradecimento ao acaso que te levou até lá.
Um forte abraço e parabéns pelo seu blog

Amannfredini disse...

PS: Tem um ótimo gosto! Seja para filmes, músicas ou livros...
Isso explica muito o textos que se constroem aqui e sua visão sensível pela leitura dos outros blogs!

Amannfredini disse...

É incrível como olhando o mundo sempre encontramos pessoas que se assemelhem tanto a nós mesmos.
É engraçado pensar que tantas vidas diferentes, tantas situações tão adversas acabam criando em tantas pessoas sentimentos tão semelhantes.
Por isso eu me abro, por isso eu busco... Por isso eu deixei de guardar meus textos empilhados na gaveta e resolvi passá-los adiante.
E pode ter certeza que eu passarei por aqui sempre!
Grande abraço!

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Como vc foi profunda nesse seu post. Cuidado! É por coisas semelhantes qu estou de cama. Quando a gente vai contra o mundo, há um choque. Mas mesmo assim fiz um post chamado "curtas sobre filmes imperdíveis" que está logo abaixo da Trilogia. Apareça por lá.
wwwrenatacordeiro.blogspot.com/
não há ponto depois de www
Um beijo, Renata

Poeta Mauro Rocha disse...

Obrigado pela visita e seu blog é interessante, esse texto também, você leu " Escritas no Chão" ? acho que vai gostar.

Um abraço!!!!

MAURO ROCHA