quinta-feira, 24 de julho de 2008

O menino do patinete - Dry Neres



* Eu nunca disse que sabia desenhar*


E o menininho pega o patinete... Espera, pensa se alguém vai passar, se a mãe vai chamar. Olha. Pára e vai! Às vezes cai, tudo muito normal. Sonha. Rola no chão... arranha meu coração!

Uma multidão que o contempla não estende a mão. Uma total resignação! Sem querer ele ergue o rosto como quem diz: - Um dia eu ainda consigo sem feliz! Ele parece ter uma capa de proteção porque vive na contramão, lambendo esse chão; e ainda parece querer crescer!


- Não menino, não cresce não!


Ele olha, pára e pula, pensa: - Vou me equilibrar!!

Registro mais um final de tarde do menino que não sei o nome. Poderia ser só mais uma tarde, como outra qualquer... mas só hoje consegui chorar.

O olhar vago dele e os lábios que balbuciam palavras que os ouvidos humanos não conseguiram ainda captar. E é a diversão dele. Passa o dia todo assim... Todo o dia passa. Passa e leva. Ele e passa!


Brum, brum, brum... ele faz! Deve pensar: - Então, que este patinete me leve para lá! Fora de cogitação. Ele desce, desce, cresce!! Desatento, na ponte que se aponta para uma ponta... O orvalho. Eu não saberia descrevê-lo, não sei ver rosto nele, nem do nome sei saber, nem sei se realmente existe... Louca imaginação! Sei que vejo, longe-longe, perto-perto... ele naquele ponto. E seu carretel de linha: o patinete.


- Não menino, não cresce não!


Espera, pula e ri... Queria tocar flauta!

2 comentários:

Anderson Meireles disse...

Leve, bagunceiro, divertido...
o menininho dentro de você...
Quando aprender a tocar flauta, me chama pra tocar com você.
Não precisa de rosto, não precisa de nome; só precisa ser você!
Um abraço!

Priscila disse...

Me perguntava porq esse blog me toca tanto. Porq q ele é tão intenso, leve e diferente. Mas q besteira minha!!!! Estranho seria se n fosse dessa forma. O blog é um pedaço de vc!!!