quinta-feira, 10 de julho de 2008

À flor da pele
Confissões desordeNADAs - Dry Neres






Não se explica... É estar perdida bem aí no meio. Descendo, descendo. Não ter corda, não ter vontade. Inundada pelos meus próprios sentimentos que agora transbordam, me dissolvem. Olho para cima da escada que gira e vejo e ouço um sorriso. O mesmo que me paraliza, que me faz... Me faz! Cada detalhe daquele, sabe... o cabelo, a mão, o jeito, o tudo de ser pura interrogação. Desço e me vejo mais longe. Até quando subo um degrau, vejo mais longe. É uma vontade de fazer bem, de cuidar, de andar de mãos dadas compartilhando o mesmo sorvete, trocando gargalhadas. Mas eu não te alcanço e é a leitura mais difícil que meus olhos tentaram decifrar! Machadiana, Freudiana... Tudo simplista! Difícil mesmo é ler você. Em uma página, penso estar subindo dois degraus, na outra vi que desci cento e vinte. Já pedi com toda a energia que tenho aqui dentro de mim, para que a medicina descobrisse uma forma de me "curar" dessa "enfermidade" que me toma. Já pedi tantas também, para que não me tirassem o meu cigarro. Sei, sei que me faz mal... Mas se me tiram agora, eu não ficaria... aqui! Essa febre interna não passa de amor; não tem outro nome, nem apelido. Essa febre interna tem somente sobrenome. Eu quero que a chuva grite tudo o que eu não tive coragem ainda de falar perto do teu ouvido! Queria poder reunir todos os mares para te dizer que meu amor não é do mesmo tamanho. Ultrapassa! Quero usar todas as palavras, só para te mostrar que todas elas juntas, não desenham esse amor, enorme! Eu só precisava de uma chance... só uma. Meu sistema imunológico está fraco. Que ironia! Meu sistema, nervoso... coitado! Sem nome, sem roupa, num estado líquido, derretida, escorrendo pelos esgotos da vida. Vendo o tempo correr e eu correndo dele...







EU NÃO QUERIA ASSUSTAR VOCÊ! É GRANDE, SEM FIM... MAS EU NÃO QUERIA ASSUSTAR VOCÊ! EU SÓ SOU UM SER QUE TEM A SENSIBILIDADE À FLOR DA PELE E QUE TE VÊ EM CADA FLOR POR ONDE PASSA. QUE TE PROCURA ENTRE AS MULTIDÕES E ENTRE O SILÊNCIO! ... QUE FECHA OS OLHOS E AINDA CONSEGUE VER O SOL. PEGO O CELULAR E TEM NELE TUA FOTO, DIGITAIS QUE EU COLHI. TENHO TEU BEIJO GUARDADO AQUI NA BOCA, TEU ABRAÇO QUE MEUS BRAÇOS ABRAÇAM TODA NOITE E DIA E TARDE. AINDA TE VEJO NA CALÇADA! POSSO AO MENOS ME SENTAR AO LADO?

18 comentários:

Gerlane disse...

Garota, este teu texto é estonteante!

Beijos pra ti!

Eu caçador de mim disse...

M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-O!

Vc me rouba as palavras! Obrigada!

◘◘◘ disse...

Mais uma vez acho que cada uma de nós, ao nosso modo, acabou escrevendo sobre uma mesma temática!
Essa coisa toda de querer as coisas todas e ter... nada?
Me confunde, me inspira... E eu não sei até onde é bom ou ruim... Porém me decifrar, coisa que em momentos seria tão importante, é algo que eu sempre adio...
Talvez por sempre querer ter algo pelo que procurar!

Beijão

Anderson Meireles disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anderson Meireles disse...

De toda essa longa história de sentimentos e esperanças, esse capítulo é o mais comovente.
Só não entendo uma coisa... (?)
Um abraço!

prafrente disse...

uma sensibilidade interior do tamanho do mundo.
Procure manter o equilibrio e não esqueça que o amor é o único sentimento que dá sentido á vida...

bjs

Paradoxos disse...

Fiquei com a emoção à flor do teu poema, aliás, um poema poderosamente brutal em que o leitor se encontra num caminho em que não sabe se está descendo ou subindo mas sabe e tem a certeza que está a caminhar! Amei com amor, o teu documento poético!
Poderoso!!!

Poeta Mauro Rocha disse...

Há palavras e palavras, há emoções e emoções, há sentimentos e sentimentos, e há textos que traduzem os momentos loucos e fascinantes da mente e há esse texto que traduz o sublime.

MAURO ROCHA

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

O seu texto é muito intenso, DRy. Gostei muito. Ontem eu estava num estado que à noite tive que ir ao médico, pois nada me parava no estômago. Anteontem estava com 39 quilos, ontem à noite, com 37. Gastei minhas últimas economias na contratação de uma enfermeira que parece um gigante, mas que me transporta no colo e cuidará da minha alimentação parental. A F@ pediu para eu fazer a resenha de "Fale com Ela".
Apareça:
wwwrenatacordeiro.blogspot.com
não há ponto depois de www
Um beijo,

◘◘◘ disse...

Sensacional é abrir o coração e saber que há pessoas que sentem as mesmas coisas que nós no momento em que, ridicularmente, nos sentimos únicos e sozinhos no mundo!

Beijão

◘◘◘ disse...

Um dia eu pararei de escrever...
Será quando o meu coração parar!
Enquanto ele bater e me der motivos e inspiração, sempre estarei por aqui!

Bjos

instantes e momentos disse...

londo teu blog, gostei muito de vir aqui.Belos textos/fotos.. Todo bom, vou voltar sempre.
Parabens
Maurizio

Andreia Lichtenstein disse...

Stop Crying Your Heart Out do Oasis, amo essa música... uma das músicas da trilha sonora da minha vida. x)
E que post lindo! Sensível, sincero. Adorei.

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Dry:
Fiz dois posts com obras do Carlo Rocha como desenhista e pintor. Vá prestigiá-lo:
wwwrenatacordeiro.blogspot.com
não há ponto depois de www
Um beijo da Rê

mundo azul disse...

...emoção e intensidade!
Gostei muito de ler o seu texto...
Beijos de luz e o meu carinho!!!

Gerlane disse...

E, deixaste-me inebriada com o teu elogio ao meu texto!
Também fiz Letras, aliás, as cores e as letras me fascinam.

Beijos pra ti, e espero que voltes a me visitar.

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Dry, querida, como vc escreve bem.
O post que fiz é especialmente dedicado às mulheres. É sobre o novo sex symbol de Hollywood e, portanto, do mundo.
Apareça por aqui:
wwwrenatacordeiro.blogspot.com
não há ponto depois de www
Um beijo,

KÁTIA CORRÊA DE CARLI disse...

Dry
Conheço cada letra deste texto... ela já ecoou (e insiste em continuar falando) dentro de mim.
E nem foto digital eu tenho...
beijo e luz