sexta-feira, 30 de maio de 2008

Toque suave - Dry Neres
Entre um desajeitamento e outro, meu coração batia mais forte, pulava. Entre cada olhar, um véu de desejo e cuidado. Em cada som, da voz, dos risos havia algo que nunca tivera antes me acometido. Algo que me faz querer ser corajosa e forte, mesmo tendo o coração amolecido diante de tão esplêndida figura humana. Surreal! E tocar mãos também nunca me fora antes tão indescritível. Porque não eram simples mãos, era a metade minha, era o Eu meu. Suave, doce, aveludada, pequena, devoradora... Assim como nos meus sonhos tão reais! E como era exorbitante a vontade de não sair dali; fazer parar todo o globo terrestre e registrar segundo a segundo cada cena, cada detalhe. O abraço? Intraduzível! Intraduzível porque os lábios acabaram se roçando, sem "pré-medição" alguma. Eles só se sentiram. Não. Eles não só se sentiram. Eu pude sentir um encontro de almas, mesmo tão rapidamente. Outro abraço. E a vontade de ficar ali crescia ao passo que um lábio quis buscar o outro novamente. E um olhar de... é melhor parar por aqui. Mas a noite era longa. Eu podia relembrar e filmar cada detalhe daquele, e assim o fiz. Em alguns momentos o sono me levou daquela realidade tão sutil. Todavia, rapidamente eu pedia pra voltar e ele me permitia porque sabia que aquilo tinha sido a coisa mais importante que me aconteceu nos últimos dias. Levantei meu corpo agora leve, bem leve do local de dormir e descobri que eu também tinha ganhado de presente todo um dia pra filmar a cena mais perfeita de encontro que meus olhos, coração e corpo puderam contemplar. Mesmo com tanto desajeitamento da minha parte... Ora, como sou apavorada e como minhas palavras soavam descompassadas! O dia lindo veio com um embrulho exemplar, um sol maravilhoso e duplo, que refletiu em minha pele a Felicidade desses lábios que agora são tocados pelos meus dedos em lembrança das mãos que também tocaram as minhas.

Um comentário:

Eu caçador de mim disse...

Estou paralisada...diante da tua grandeza, riqueza, delicadeza...gosto da tua alma, calma...dos teus olhos e do que eles perseguem...sinto-me bem no teu mundo...no nosso mundo...de palavras e silêncios...até mais...poetisa adorável