quarta-feira, 28 de maio de 2008

Encontro - Dry Neres

Marquei um encontro comigo mesma. Com minhas emoções, meus jeitos. Encontrei uma confluência de rios que desaguavam em cenas díspares. Parei, respirei fundo e vi no espelho uma face divina e profana que busca a si mesmo, incansavelmente. Entrei na casca, caminhei entre postes e carros e zunidos. Não achei. Gentes com todo tipo de rosto, lugar, sorriso, pulsar. Não encontrei. Me fiz menor e peguei viagem no meu respirar invadindo meus pulmões. Vi sangue, veias, ossos, carne, coração e... e encontrei! E como foi assombroso. Encontrei! Não exatamente o que procurava, mas todas as razões necessárias pra querer sair daqui de dentro e ser, existir, agir. Descobri que não tem rascunho e é agora. O agora nos impõe belezas que os olhos mortais não permitem contemplar... ainda. Senti-me feliz em saber que sou única. Única! Você também é. Nós somos. Juntos, somos. Ao encontro de, à procura de, a favor de... encontro! Às vezes vamos longe, em outros pólos de outros extremos em busca do que está tão perto, bem perto, embora não pareça tangível. Encontrei alguns corpos e eles me ajudaram a estabelecer a base do castelo que de areia seca, molhou. E a água com toda sua capacidade de renovação, me deu carona numa onda e me trouxe até aqui, agora, pra você e pra mim...


2 comentários:

EDUARDO disse...

vim pelo titulo conhecer o teu espaço, adorei é de voltar mais e mais...


paradoxos

MARTHA THORMAN VON MADERS disse...

Que coisa linda, nossa, tenho que ler novamente.beijos.
marthacorreaonline.blogspot.com