terça-feira, 6 de maio de 2008

Afinal, os anjos existem? - Dry Neres




Quando eu era pequena, digo menina, por que não cresci muito... Conseguia ter a inocência de conversar com minha própria sombra e vê-la como um anjo, que possuía asas. Com o passar do tempo, fui... fui... Descobri que sim! Eles existem! Agora não mais na minha figura; inocência perdida. Mas em muitas pessoas que por vezes não me fora permitido ver a face.
Os anjos conseguem ter e ser luz mesmo num buraco fundo, caos do mundo... Esplêndido! Sei que velam até o meu sono. Certo dia, em mais um dos meus sonhos infantis, abri os olhos de noite e... e... Não! Não tinha anjo ainda... Mas quando acordei pela manhã, por volta das nove horas, pude ter a certeza de que estou cercada por Eles. E assim como as formigas carregam as folhas, me sinto posta no colo dos meus anjos, por horas e horas, até que o sal das lágrimas jogadas pelo meu globo ocular se perca na “cova” de um sorriso de menina.

Um comentário:

Priscila disse...

Num corpo tão pequeno, como habitar tanta sensibilidade? Logo, uma imensa alma!