quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Falso ou verdadeiro?
Dry Neres



Você se olha no espelho?
Sabe seu nome completo?
Número de RG?
Você mora em você?
Sabe seu estado civil?
Orientação sexual?
Parece normal?
Gosta de chocolate?
Pensa no cheque-mate?
Ama seu melhor amigo?
Já pensou em sair comigo?
Falso ou verdadeiro?
Você usa máscaras para camuflar sua dor?
Já viu partir com alguém o seu amor?
Esqueceu de tudo e quis partir ao nada?
Sabe se teus olhos te agradam?

Sabe, sabe, sabe... eu sou curiosa, mas não sei perguntar...
Sabe, sabe, sabe... eu não sei mais escrever... tô em outra galáxia... bye, bye sociabilidade.
Meu nome é homem tecnológico. Relógio. Ponteiro. Máquina. Ar. Bomba.
Todos os agrotóxicos estão brincando de comer meus cérebros muitos-vários...
E tudo isso é falso... E tudo isso é verdadeiro!!

Na verdade eu só queria escrever sobre o amor, mas hoje ele disse pra que eu somente sinta a leveza e a brancura da pele tua que o sol tem me trazido... Ele me disse: escreve, escreve... brinca, brinca... Mas não diz sobre teu amor. Deixa sussurrar no céu o nome que grita tua garganta. Mas não fala o nome do teu amor... Fica assim quietinha, feito criança que finge estar com sono. Não desperta agora, pode ser tudo mais um sonho.

9 comentários:

Poeta Mauro Rocha disse...

Lembra Cecília Meireles: "Ou isto Ou aquilo". Será o amor uma dicotomia?? srrsrsrrs

Um abraço!!

Crisfonseca disse...

Fascinante. Simplesmente belo teu poema.
Teu blog é fascinante
Beijos,
Cris

Camila disse...

Não preciso nem dizer que tua escrita me fascina...


"Sua palavras dançam na minha frente"

beijos, te adoro moça!

Vulcanicos disse...

Seus textos e seus comentários sempre me deixam no mesmo estado!
Nunca acho que posso retribuí-los à altura... Volta e meia fico caçando definições e você aparece com uma...
Sei que hoje me deixou pensando em todas as perguntas que escreveu aqui.
Agora quero apenas parar, pensar e respondê-las a mim com sinceridade.
Você é genial!

Grande beijo

Anderson Meireles disse...

" De manhã o tempo me avisou que só o tempo poderia me ajudar...de manhã o tempo me alertou que "dar um tempo" era melhor...
para um novo tempo começar!
Abraços!

mundo azul disse...

Gostei demais do seu questionamento!
Sim...

Sabemos de nós, apenas coisas que nos ligam ao mundo exterior...E aquelas que nos levam para o nosso verdadeiro eu?

Gostei muito da leitura que fiz aqui!

Beijos de luz e o meu carinho...

Cadinho RoCo disse...

É tão engraçado perceber a presença de palavras no silencio. Elas existem lá também, não para serem ditas; só decifradas no escondido do secreto nosso. E o mais fascinante é que por elas é possível transitar conversa de diálogo nenhum, mas com enorme poder de revelação.Isso pode parecer assustador, mas é antes terno, terno e terno até onde não pode mais ser, para ser mais terno ainda. E diante da ternura, dizer o quê?
Cadinho RoCo

Poemar disse...

Dry, já decidi: toda vez que eu vier a teu blog, vou vir de capacete e apertar bem o cinto de segurança. Que viagem!!!

Beijos de mar e, bom fim de semana, garota prodígio!

*** Cris *** disse...

Olá! A Gerlane me falou de ti, então vim aqui conferir novamente, adorei seu jeito de expor os pensamentos e tudo que vai dentro da alma.
Um abraço!