sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Minha-Nossa-Dor
Dry Neres


Como irmãos, deveríamos ser. Como irmãos, nos aquecer do frio que exala da máquina salgada do mundo-capital-dor. Da desesperança, do desespero, do desassossego, deste duplo-pensamento-diafônico... Oh Deus, olha pelos filhos teus! Esses seus filhos que não têm cobertor para cobrir seus corações-re-quentados. Oh Pai, até quando no asfalto ficarão sujeitos às pisadelas dos tratores-homens-sem-alma? Até quando viajarão sem barco nem vela, sem água só ar? Esses irmãos nossos que têm dor nos olhos ao olhar as orquestras e o caviar pela vidraça alí da cobertura-do-bacana-altar?
E a criança, Meu Senhor, vi nas mãos dela o sonho que se perdeu. Li nas tuas marcas o rude suor das lágrimas tuas. Revi nos teus cabelos o desconforme e o ridículo para a moda-teen-dos-desalmados-do-Galois. Aquela criança representa bem os tudos e os nadas. Sinto-me bem como ela, assim, impotente em dar e receber amor. Revelo a cor que vejo quando abro a porta: branco-gelo-escuro-fome. Caminhando vou, e um velhinho vem ao meu encontro; numa sanfona carrega a sua casa, no bolso sem fundo, a esperança de encontrar repouso.
Mas de tudo-longo-grande, vejo os homens com atadas-gravatas-de-seda, enforcando sua própria ignorância. Marcando a sua falta de humanidade. Vomitando nos nadas-curtos-pequenos que rastejam em busca de água, vento, som... qualquer coisa assim que encha um prato-de-dentro ou o prato-de-fora.
H-U-M-A-N-I-D-A-D-E!!
O-mundo pe-de, a-gente es-COLHE se-dá.
*Este texto é pra Ana Diniz. Simplesmente Ana! ;)

5 comentários:

ANA DINIZ disse...

A simplicidade é uma virtude complicada de se trabalhar. É importante ter simplicidade para enxergar a dor do próximo e colocar-se no lugar dele. Jesus era simples. Poderia ter nascido em um berço de ouro e brilhantes, mas humildemente escolheu a condição de nascer em um estábulo em uma cama de palha, sem nenhum conforto, honra ou magnitude. Em sua condição de Filho de Deus - Deus-Filho - Jesus veio ao mundo pq quis, pedindo ao Pai para encarnar entre os mortais. Jesus é o meu modelo de Perfeição. Ele é a verdadeira personificação da sensibilidade humana, como deveríamos ser e muitas vezes não somos. Jesus é a Luz do Universo, é Deus, nosso Amor Absoluto e Incondicional. Precisamos trabalhar os Ensinamentos do Mestre em nós. A dor humana existe pq estamos longe de Deus, pq todos somos imperfeitos e ainda estamos marchando rumo à Perfeição. Isto é a Evolução. Muitos estão perdidos, precisando de nós, de nossa Caridade, seja ela material, seja ela moral. Nunca caminhamos sozinhos. A marcha rumo à Luz é coletiva. Portanto o Progresso tbm é coletivo.

Seu texto é lindo. Como vc. Retrata novamente a sua sensibilidade humana, q todos temos a lapidar e a desenvolver. Seu texto mostra q vc não está de olhos fechados e isso é um passo importante para mover as mãos no sentido da mudança. Belas imagens, cores sombrias e dolorosas, mas reais.

Muito obrigada pelo carinho e pela paciência.

Bjs de quem verdadeiramente te admira.

Ana Diniz

ANA DINIZ disse...

Querida Dry.

É pra te desejar um lindo final de semana. E te falar q fiz uma nova postagem.

Queria te dizer q estou muito orgulhosa do que fizemos hj.

Bjs.

MARTHA THORMAN VON MADERS disse...

Divino. Simplesmente Ana!
Apareça se tiveres tempo. beijos e parabéns pelo belo texto.

MARTHA THORMAN VON MADERS disse...

A simplicidade resolve tudo.
Tudo que é simples é agradável.
Postagem linda. parabéns!

Anderson Meireles disse...

Lindo, muito lindo esse texto...Humanidade, quando encotraremos nos seres humanos?
Abraço!