quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Diga sim pra mim!
Dry Neres

Diz que quer abraçar o sol junto ao meu corpo. Ou simplesmente diz que quer me abraçar. Sua voz ao telefone me faz querer ultrapassar todos os fios, todos os elétrons da comunicação ofegante, da respiração cintilante. Diz que sim. Que eu te faço bem. Que eu sou a Dona dos teus "ais". Teu cais, teu porto, teu carro desgovernado. Sua pele ainda insiste em acariciar a minha. E as aves do céu me lembram teu pousar. E o teu canto não me sai da pele. Confesso! Já tentei lavá-lo com outras vozes, com outros cantos, com outros instrumentos. Confesso novamente... nada saiu de mim. Reclamo com o universo, grito com o tempo. Maldito seja o tempo! Maldita seja a ausência tua em mim. Que algo bendito te traga, para que minha alma assim repouse, durma em você. Que você durma em mim, por mais trezentos mil anos ou somente por um luar. Diga sim pra mim! Dê ordens à minha dor. Diga a ela que saia rapidamente, porque agora é o jeito teu que irá me invadir. Dê ordens ao meu coração. Diga a ele que te acompanhe. Que não se perca de você. Ordene que minha poesia seja tua. Reclame do meu assombro. Me beije quando eu menos esperar. Me queira quando de meias eu estiver. Briga com a distância que insiste em nos perturbar. Diz sim pra mim? Diz Sim... porque o meu Não está mais que preparado!

NÃO, não saia da minha vida nunca mais!

4 comentários:

Anderson Meireles disse...

Um luar pode durar trezentos mil anos também. Basta você escrever para se tornar real.
Um abraço!

Poeta Mauro Rocha disse...

Quanto lirismo nesse texto, quantos desejos!!

Um abraço!!

*** Cris *** disse...

Uauuuu!!!
Dry assim não tem como não dizer SIM.Seu coração é lindo moça!
Bjs!

Gerlane disse...

Nossa, Dry! E quem seria capaz de dizer um não a tão inflamada declaração?...

* Magnífico, garota prodígio!

* És paixão à flor da pele!

* Beijos pra ti!