segunda-feira, 25 de agosto de 2008

As flores que beijam meu rosto
Dry Neres




Elas às vezes trazem espinhos, mas mesmo assim, não deixam de beijar. O beijo seco, mórbido, moribundo... o beijo! Minha alma dança com balanças e pingos no olho. Minha alma quer morar em mim, mas é uma luta tão grande... Mas é uma sinfonia cintilante que me leva, me leva, me leva pra longe. Eu vejo uma corda invisível e vejo também roupas rasgadas com botões de flores amarelas, azuis, transparentes e flores, só flores. São flores ou são só minhas mãos? Sei que tocam suavemente, como toca o anjo sua trombeta. Eu recuo! Caminho entre as águas que mais parecem escadas que vão me levar ao reino onde a lei é o amor. Caminho entre farpas que o tempo também me deixou. Caio nas redes dos peixes que lancei ao mar uns três mil anos atrás. Invento brinquedos novos, colo algumas peças e "cabeças-quebra" de fotos que meus pés arrancaram com toda ousadia das areias da praia... A mesma praia que eu prometi que construiria uma casa de folhas... não folhas de árvores, mas de cadernos... com todas as letras que firmaram o alicerce da minha ausência de mundo, da minha fuga intensa, eterna, pretenciosa... Reparo que à direita, um velho tenta plantar mais flores no pico da montanha e eu me pergunto o porquê de ser tão alto. E fito o céu e posso ler a resposta: lá em cima é mais difícil de alguém arrancar, lá ela fica perto dos teus pensamentos que voam como tesouras de asas e bicos sorridentes. As flores que beijam meu rosto, não beijam meus olhos... elas são poucas ou muitas, muitas e poucas. Em que direção elas vão? Quem há de fazê-las retornar à alma que chama por olhos encantados? Todo o brilho se perdeu, se prendeu e se soltou. Quando se compreende bem as coisas, perde-se o encanto por elas... porque a cor que me move, ainda está no desconhecido, ainda está nas ruas que eu não sei o nome e nos planetas que não tenho o endereço para correspondência. O encanto deve ter ficado no armário, ou no porta retrato que criei no celular... talvez na máquina fria e orgânica que guardo a cada click, a mudança que as flores que beijam meu rosto me proporcionam. Eu vejo a flor que nasce, cresce e morre... a morte é só uma transformação necessária... a hipótese é o estado final do pensamento fascinado pelos nadas e tudos que a existência nos impõe. A hipótese é o estado final do lápis que foi apontado, porque antes era árvore que antes era semente. Dos pingos e das balanças, das roupas e das notas, do tempo e do infinito, do céu e da terra, do princípio e do fim... Me despeço! ...dos anexos sem passagem de volta... nunca da vida. Porque a vida é simplesmente uma dádiva. Abrace-a com as pernas e beije-a com os braços e lhe dê flores com a ponta do nariz!

9 comentários:

Anderson Meireles disse...

"Caminho entre as águas que mais parecem escadas que vão me levar ao reino onde a lei é o amor...

A hipótese é o estado final do lápis..."

Pra mim você mora em um reino onde a lei é o amor e um lápis nunca acaba!
O reino da certeza de que nada é certo.
Um abraço!

VANUZA PANTALEÃO/OBRA LITERÁRIA disse...

Uma dádiva
Uma dívida
Que devemos
A Deus
À própria VIDA
----------
Eu disse lá no Anderson que acreditava em Deus como se fora Ele a própria POESIA. Tenho meus motivos...
Uma boa noite!

◘◘◘ disse...

"Minha alma quer morar em mim"
Entre tantas linhas, tantos posts, tantas coisas que já li, nada até então foi mais simples e mais magnífico!
Forte e doce... Perfeito!

Um grande beijo!

busillis disse...

Olá

Simplesmente fascinante!

Abraço

Menina do Rio disse...

os espinhos estão para as rosas, assim como a saudade para o amor. e formam o equilibrio


Um beijo

Cadinho RoCo disse...

Impressionado pela coreografia de suas palavras perco-me neste cenário a perceber que quero ir embora para a beira do mar e descansar na tal casa de folhas deste caderno seu que traz o cheiro sabor da sua caligrafia.
Cadinho RoCo

Crisfonseca disse...

Olá ,
Estou encantada com o teu blog, parabéns.
Tua escrita me levou ao um mundo de magias, és sublimes cada palavra. Belíssimo este texto, tem alma, tem amor, por isso é perfeito.
Agradeço lhe a visita e as palavras gentis e volte sempre que vc quiser, as portas estão abertas pra te.
Beijos,
Cris

KÁTIA CORRÊA DE CARLI disse...

Dry
Se é possível, cada dia vc fica melhor...
Lindo seu texto.
Que seu lápis seja mágico, para nunca deixar de ser...
beijo

Cadinho RoCo disse...

Estou com publicação no Meu Nosso Blog hoje (28/8) quase policial. Por isso lembrei-me de você, como se lembrar de você fosse tão difícil assim. Pronto, direi a verdade, sempre lembro de você.
Cadinho RoCo