segunda-feira, 9 de março de 2009

Do feminino
Dry Neres



Ser mulher é ser intraduzível. É ser várias numa só. É abrigar vários mundos. É ter várias cores, vários sons. Ser mulher é ser sensível; saber tocar; é fazer do amor morada incerta.

São as mulheres que inspiram as falas e os suspiros das poesias e do canto dos pássaros. Elas são pura pele, puro sangue, mais emoção.

São as mulheres que amam demais, amam os ventos, amam os rios, amam mulheres, amam meninas... Dançam com as palavras, brincam de poesia, e rodopiam nas canções produzidas pelo seu aparelho de respirar. Respiram ofegantes depois do amor ardente; Se enfeitam, se protegem, se armam. São mulheres fortes assim, são mulheres frágeis assim.

M-u-l-h-e-r-e-s - e como é doce pronunciar. É fácil dizer, difícil explicar.
M-u-l-h-e-r, não sei mensurar a força total que imbui essa palavra. É lábio, perna, anél, cabelo, perfume, mãos, olhos, pés... Não há nesse mundo ser mais perfeito que elas. Não há nessa terra igual nem maior sensibilidade fraterna... São elas, somos nós.
Ah, essas mulheres... Tiram-me o fôlego, apertam-me o coração. Roubam-me a sanidade, trazem-me as mais belas letras para meu cenário romântico. Elas me deixam nua, descamisada, sem juízo. Fazem-me o ser mais errante dessa terra das gentes apaixonadas. Transformaram-me num animal sentimental em grande escala. Deram-me os melhores risos, os melhores gozos, os abraços mais doces...

Simplesmente viscerais, orgulhosamente mulheres!

2 comentários:

Fionna disse...

Amo Muito Ser MulHer! =]]]

Mais um jeito de [tentar] dizer como somos elas, como deixam "nós", e como os fazem e os desfazem com habilidade sem igual, heim?

Beijos, Dry!
Seus textos são como florzinhas de uma cor que não sei qual é, por isso releio tanto.

Poeta Mauro Rocha disse...

Que belo!!A melhor tradução da mulher que li.

BJS