segunda-feira, 15 de junho de 2009

Substancial
Dry Neres





Versus: O que falta é coragem! O que falta é... Deixar de amar!

Proso: Ora, Sr. Paulo... Então é possível?

Versus: Assim como veste, agasalha, afaga... O amor também foi programado para desabrigar. Digo, não o amor em si. Exorto-te acerca do-s sujeito-s empregado-s no verbo.

Proso: Tudo seria mais tão fácil se então pudesse terminar em poesia. Puxa a cadeira, molha a ponta do lápis, enverga a folha, derruba dois dedos de qualquer líquido e dorme.

Pairo acima de algum lugar em mim. E percebo-me ausente.

Quando sinto-me assim é porque preciso da multidão de São Paulo. Daquelas ruas geladas, de rostos fugidios, imagem forçada. É porque quero te perder lá no meio. Esquecer sua voz lá dentro. E percebo-me ausente.

2 comentários:

Poeta Mauro Rocha disse...

Ola!!Estou com saudades suas,mas seus textos são deliciosamente degustados em linhas que me fazem viajar,gosto dos seus textos e de você.Ah!Só passei para lhe desejar um ótimo fim de semana.

bjs

ParadoXos disse...

quanta originalidade!!!!!!!!!!

sem palavras
- a sério, sem palavras pra descrever a tua fértil imaginação!!!!!

amei-te mesmo!!