segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Porque estou afogada em romance
Dry Neres





Sinto uma espécie de afogamento de mim na tua ausência. Estou tão acostumada com o teu cheiro, que quando ele me falta, nada mais parece saudável de se respirar. Você se tornou a minha insulina. E eu diabética no doce de amar, derramo-me em vontade de casar minha alma com a tua em pressa. Afobo-me com a ausência do teu sorriso nos olhos quando você está aí e eu aqui sentada. Se eu pudesse passaria umas quarenta horas por dia banhando-me da tua poesia. Eu a amo tanto que é impossível guardar só no raso dos olhos as lágrimas da felicidade que você me trouxe. Talvez eu a ame mais do que a mim mesma. E diante da mihna racionalidade de outrora, surpreendo-me com tal afirmação que emana desses dedos desesperados em poesia. E me soa assim tão verdade quanto o azul das véias - Talvez eu a ame mais do que a mim mesma. 


Por este amor eu não mediria e nem medi esforços até hoje. Eu não conhecia até onde o Ser Humano poderia ir por amor... Porque eu nem mesmo sabia mensurar o real significado de tal afirmação. Mas diante do que vivemos, eu até me arrisco a tropeçar nos significados que meu coração em cavalgamento de emoções faz pulsar. Formigo-me tal como em estado de prazer maior quando lembro do passeio perfeito que seus lábios realizam nas curvas da minha imaginação já tão conhecida por seus desejos.


De mãos dadas com as suas não temo a 'santa inquisição', nem o trilho dos trens, nem a juba do leão. Não temeria a solidão... Porque depois de você a palavra - j u n t o - ganhou trilha sonora. Estar junto a você é o estado que garante a minha própria sobrevivência. Sem você, eu me vejo sem graça. E que graça há no céu à noite senão o brilho teu - oh estrela dos meus dias?


Eu juro a devoção dos meus olhares a ti. Aqui ou em qualquer lugar em que eu esteja... a minha devoção será sempre a mesma. É o mínimo que posso fazer em agradecimento ao cuidado que tens tido com o nosso amor. Conta comigo pra sempre. Casa comigo sem prazo de validade. Namora-me sem ponteiros de relógio. Mergulha comigo... Porque estou afogada em romance. Vem comigo, amor... Sempre! Te amo.

3 comentários:

Poeta Mauro Rocha disse...

Ola!! Seus textos são maravilhosos!! Saudades!!

BJS!!

ParadoXos disse...

"- j u n t o -"

ler os teus fascínios é ficar afascinado completamente pelas tuas palavras!!



beijão estimada amiga dos Fascínios!!

pensador made in vaso disse...

Há muito tempo que não vinha aqui....
Seu texto está belíssimo, como das outras vezes em que aqui estive.
e ai, como vc anda?
abraços libertários