quarta-feira, 22 de junho de 2011

Haveria poesia mais bela se não fosse você?
Dry Neres



Não paro de pensar em você um só segundo. Cá estou entre as paredes métricas dos muros da educação, fazendo a observação vassala de alunos em provas... E eu não paro de pensar em você um só segundo.
Os olhos captam as imagens externas, mas meu coração não cansa de me enviar palpitações e suspiros, por meio da lembrança do teu sorriso largo e infinito.
A adoração que sinto em meu peito por tua existência divina, assemelha-se à devoção eclesiástica. Faço de ti meu templo... Faço de ti o sonho realizado que me desumaniza e me aproxima do estado de purificação da alma. És minha fonte, meu cais, meu repouso, meu desespero... És o amor personificado.
Assim, cheios de brilho meus olhos estão, quase lacrimejados ao me deparar com a reflexão da magnitude do nosso enlace.
Haverá ainda felicidade mais extensa que essa?
Haverá amor mais transeunte?
Houve maior devoção, encantamento?
Haveria poesia mais bela se não fosse você?

2 comentários:

ParadoXos disse...

vim respirar as tuas palavras estimada amida Dry Neres!
como sempre, o amor à flor de cada verso, a beleza do que existe, sendo poesia!



beijo grato, em estado de presença!



Hedu_cação :-)

ParadoXos disse...

errata:
quis dizer amiga e não "amida".


sorry!

bjs