segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Eu mudaria os oceanos de lugar
Dry Neres




Noite esta ardi em calor febril que nem o vento do aparelho de voar retirou-me a efervecência do corpo. Tive sonhos ardentes de amor. E no clímax do beijo tua voz se intercalou com os meus líquidos. Não descreverei a pergunta tua, mas sim a resposta minha: Eu mudaria os oceanos de lugar!

Toda a minha poesia foi facilmente transmutada ao seu Ser no instante em que seus olhos se cruzaram com os meus mesmo que presos na tela fria do computador ou do fio telefônico que nos uniu de alguma forma. E a minha respiração começou a apresentar sons parecidos com o teu nome. E eu já sentia vontade de vestir os meus dedos com alianças nossas. Facilmente, por você, eu mudaria os oceanos de lugar.

E se me fosse pedido, construiria uma nova arca de algum Noé e reuniria todos as cores desta Terra, toda a música, todo o perfume e fundaria um país só nosso. Comeria livros e mais livros de poesia até me sentir suficientemente poética para ousar balbuciar em teu ouvido minhas juras de céu e amor. 

Amor meu, concede-me a dádiva de enlaçar minhas pernas nas suas por mais longas datas e séculos. Não há nada mais suave do que ter meu corpo abraçado pelo teu. Sinto-me a mulher mais amada e desejada do mundo inteiro. Sinto-me sim, inteiramente mulher!  Eu amo cada detalhe seu. As suas cores e vozes e verbos completos. Amo sobretudo, a inquietação que me você me provoca. Amo a vontade que você me dá de ser o melhor em você, em mim. Não mudaria somente os oceanos de lugar... Eu aceitaria todo o legado de nascer novamente, e aprender a chorar, andar, sorrir se houvesse a certeza de um dia às duas décadas minhas de idade encontrar-te novamente. Aceitaria morrer se a promessa fosse de te reencontrar em outras existências. Aceitaria um casamento às escuras numa ilha grega qualquer sem estrela no céu, porque o brilho teu está em mim e não há céu nublado, noite escura ou chão sem alicerce que me dê medo. Você é minha segurança. Agora vem, fala baixinho, me aperta... Quero num sonho de olhos abertos novamente poder dizer em outra língua, em novo tom: I would change the oceans of place!

2 comentários:

Poeta Mauro Rocha disse...

Ola!! Belo como sempre que eu mudaria tudo de lugar para ver esse amor infinito.....Beijos!!

ParadoXos disse...

"Eu mudaria os oceanos de lugar"

todo o texto é poeticamente, poematograficamente, prosadamente, infinita-mente oceánico minha querida, a começar pelo título!!!


parce que me sinto por dentro dos teu verbos, também!!







acredita....


teu beijo, aquele.