terça-feira, 26 de maio de 2009

Apetecível Epifania
Dry Neres


I just had an epiphany!

Externar sentimentos. Expulsar demônios. Mandar-se embora de si. Banhar-se em letras. Dormir nos ponteiros de um relógio qualquer sem pêndulo. Sentir uma espécie de torpor. Descantar canções. Dessorrir carícias. Apetecer almas. Epifanar amores. Inventar sentidos. Quebrar conceitos. Desfazer lágrimas. Chover e amanhecer. Dormir e anoitecer. Obter vigor dos abraços. Sugar os néctas corporais expelidos pelos deuses (as). Proferir junção de corpos em forma de manifestos Modernistas. Derramar-se. Morrer de amores enquanto se bebe do vinho ultraromântico. Amor de Shakespeare.


Falta-me alguns conceitos. Falta-me todos. Prefiro os sentimentos sem nome. As relações sem peso. Pés envoltos de meias coloridas. Blusas listradas. Anel no dedo médio. Falta-me algum pedaço perdido em alguma esfera, em algum tempo de alguma memória em mim. Falta-me eu. Sobra-me os outros. Resgatar-me-iam as ninfas, os elfos, os príncipes (as)? Devolvo-me a um estado sereno. De recepção. De aceitação. Quase contente no mundo mudo. Meu aparelho auditivo capaz de discernir cerca de quatrocentos mil sons capta meramente alguns pingos de chuva. A chuva que sou. A chuva constante a que me remeti. Enviei-me em papel de cartas e em endereçamentos à lugar de ninguém. À lugar nenhum.


Sou um livro de tantas páginas, várias páginas. Algumas nulas. N'outras exposta demais. Algumas sobras. Muitos espaços. Sou um livro esperando ser lido. Ousas? Provoca-me? Instruí-me alguma entidade transeunte. Chove-me as suas mãos nas minhas. Chove-me nosso beijo por hora inventado. Não descrito em livros. Não descrito em corpos. Chove-me e amanheço. É uma apetecível epifania. E ora, o que é isso? Não importa. Não importa. Não importa. Isso sou eu - Sobrenatural - Divina - Insana - Patética - Feliz - Sou desejo - Apetite - Pretenção. Humana tal como você.

4 comentários:

Poeta Mauro Rocha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Poeta Mauro Rocha disse...

Um livro aberto, com páginas rasgadas,srrsrsr.Brincadeira.Texto marailhoso, gostei da parte dos demônios, temos que exorcizá-los às vezes.

Anderson Meireles disse...

Sobrenatural - Divina - Insana - Patética - Feliz - Sou desejo - Apetite - Pretenção. Humana tal como você.
És muito mais que isso!

Ausência Instável disse...

Eu estava fuçando o google e achei o seu blogspot por coencidencia de uma foto q procurava, sobre a menina nas mão de um homem, ela bem pequena, vc tem essa foto e eu postei ela no meu novo poema.

tenho q confessar q esse poste seu, me encantei, a forma q é escrita, é imensa e forte, nem precisa de esforço pra entender.

Gosteii mto seu blog,
estou seguindo vc agoa
kkkk ...

bjão!